Aviação Reviews 

Review 1/32 FLY Bachem Ba 349 A “Natter” #32002

O Natter (víbora) era um interceptador de subida rápida, projetado para defender alvos vitgais dentro da Alemanha.  Foi concebido inicialmente pelo Dr. Eric Bachem , em agoto de 1944, após este ter testemunhado bombardeios aliados nas principais cidades alemãs. Ele acreditava ter a solução para interromper as grandes formações de bombardeiros. 

 

Retornou à sua fábrica em Wunterburg e relacionou quais seriam as características necessárias para a aeronave. Ela deveria ter um projeto de fácil construção e utilizar materiais convencionais. Sua idéia básica era lançar o Natter de uma rampa portátil, próximo do alvo e no menor tempo possível. 

O avião-foguete deveria ganhar altitude rapidamente e se aproximar das formações de bombardeiros tão depressa que ações evasivas seriam impossíveis. 

Na concepção do Natter, os bombardeiros aliados voavam a uma altitude média de 23 mil pés e por este motivo o Natter foi projetado para defender um espaço aéreo de 12 milhas de raio por uma altitude de 30 mil pés. 

Abaixo podemos observar o seu esquema operacional, de lançamento, ataque e pouso: 

 

A intenção era distribuir a produção do Natter por toda a Alemanha. Seu projeto foi simplificado para que pudesse ser produzido em pequenas e simples oficinas, com ferramentas de pouca precisão. Era basicamente construído de aço de baixa qualidade e madeira, com exceção do motor a jato, asas e sistema de armamento. Eram estimadas 1000 horas de trabalho para a construção completa de um Natter. 

 

Depois de avaliadas algumas opções, decidiu-se armar o Natter com 24 foguetes R4M, disparados pelo piloto no momento mais oportuno, próximo da formação dos bombardeiros. Abaixo podemos observar o posicionamento dos foguetes no nariz do avião. 

 

O Natter seria lançado como um foguete rumo à Lua. Eric Bachem projetou um trilho vertical de 70 pés para seu lançamento. Quatro foguetes auxiliares eram conectados à fuselagem da aeronave, e o faziam chegar a uma altitude de 38 mil pés em 60 segundos. Na foto, um sendo lançado na fase de testes. 

 

Em maio de 1945, trinta e seis aeronaves estavam construídas. Dez delas foram transportadas para Kirchein, para esperar as formações de bombardeiros americanos. Mas a frente de batalha se movia rapidamente e tanques americanos invadiram o local de lançamento, destruindo e capturando as aeronaves.  Os russos também capturaram alguns exemplares, enviando-os à Rússia para estudos.  Alguns exemplares foram para os Estados Unidos e sofreram acidentes em testes. O único exemplar restante está no Museu Aéreo Nacional, nesse país. a foto abaixo, soldados americanos observando um exemplar do Nater. 

 

 Natter, algumas especificações técnicas: 

– Comprimento: 5,72 m 

– Envergadura: 3,20 m 

– Altitude máxima: 12 mil metros 

– Taxa de subida: 37 mil pés por minuto 

– Velocidade vertical: 700 km/h 

– Velocidade máxima horizontal: 1.000 km/h 

– Velocidade de cruzeiro: 800 km/h 

– Duração do vôo: 2 minutos 

– Raio de ação: 20 km 

Apesar da situação totalmente caótica da Alemanha no final do conflito e da total falta de recursos, notamos através do exemplo do Natter que,ao contrário da solução massiva das forças aliadas, os alemães ainda insistiam na criatividade e ousavam nas tentativas para um desfecho diferente da guerra, por mais difícil que isso fosse.  

Fontes: 

– Natter – und andere deustche Kleinstraketenjäger – Waffen Arsenal – 1989 

– Kamikaze – Aero Series 7 – Aero Publishers Inc. – 1966 

– Bachem Ba 349 – Natter – Schiffer Military – 1999 

 O Fabricante

Simplesmente Fly. Empresa tcheca fabricante de kits. Em seu catálogo, somente aviação nas escalas 1/144, com alguns modelos de aviação civil, 1/48 com apenas 4 kits, mas traz um do girocóptero experimental Foke Achgelis, um kit bem diferente, e, finalizando, escala 1/32, esta com duas versões do kit do Natter, a 349 A e a 349 V, de testes, com apneas uma mudança na empenagem, pintura e de decais. O site tem versão em inglês e vale uma visita:  www.fly814.cz 

O Kit

A primeira impressão já é boa. Vem em uma caixa sem tampa, de abertura lateral, mas produzida com um papelão grosso, o que garantiu a chegada de todas as peças inteiras. Uma bonita ilustração representa uma aeronave sendo içada em sua plataforma de lançamento. Nas laterais alguma propganda e na parte de baixo estão as instruções de pintura do kit. 

Aproveitando, são 3 versões disponíveis, tanto em pintura como em decais. Mas, para meu azar, a folha de decais veio trocada, não correspondendo ao modelo da caixa. Vamos tentar um contato com a Fly e explicar a situação. E aguardar o retorno. 

O restante do kit vem embalado em apenas um saco plástico. São 4 sprues, um conjunto de peças em resina, as transparências, decais e uma folha de PEs. Com exceção dos sprues, as outras partes vêm embaladas em pequenos envelopes tipo zip. 

As instruções estão em uma pequena folha dobrada em 3 partes. São claras e bem impressas e na leitura descobre-se que as peças podem fazer as versões Ba V e Ba A da aeronave. Mesmo com o tamanho reduzido do papel, mostra claramente a montagem de todas as peças, ds de plástico, resina e PE. Mesmo modelistas menos experientes não terão dificuldades de entendê-las. 

O kit é todo em baixo relevo e as peças são muito bem injetadas, em um plástico cinza escuro. Alguns cortes com o estilete mostraram que é macio e fácil de trabalhar. O nível de detalhes é razoável. Poderia ser melhor trabalhado, principalmente nessa escala. Totalmente sem rebarbas e nenhuma peça torta ou empenada. Apenas algumas marcas de injeção nas partes internas de algumas peças. Traz ainda um pequeno suporte para a exibição do kit, pois o mesmo não conta com trens de pouso ou algo semelhante. Um detalhe muito bem vindo inserido na injeção do kit. 

Os decais, mesmo não sendo os desse kit, são muito bem impressos, com uma quantidade mínima de filme fora da tinta. A folha de PE também é muito bem feita, traz os cintos do banco do piloto e algumas peças de fixação dos foguetes. 

As transparências, apenas duas, são boas, mas um trabalho de polimento pode melhorá-las bastante. 

Várias peças de resina, produzidas pela Artillery Models completam o kit. Muito bem produzidas, melhoram consideravelmente o detalhamento. Peças para os foguetes, banco do piloto, peças do cockpit e a colméia do nariz, onde eram alojados os mísseis. Nenhuma peça torta ou quebrada. 

Nas fotos abaixo podemos conferir o kit. 

Finalizando: mais um kit do leste europeu que surpreende pela inovação e qualidade. Apesar da aeronave já ter sido lançada em kit, pela Revell e pela Dragon, ambas na escala 1/48, a Fly traz um modelo bastante fiel e adiciona valor com as peças em resina e em PE. Mesmo sendo um kit short-run, até modelistas inciantes não vão  encontrar maiores problemas em sua montagem. Já os mais experientes podem aprimorar o kit com algumas horas dispensadas em scratch.  Recomendo totalmente. 

O kit pode ser adquirido na Modelimex, por 29,50 euros, com desconto de 20% para compras internacionais. Um preço bom para um kit desse nível. Para comprar é só clicar aqui. 

E agradecemos a Modelimex por ter nos enviado este kit para a produção deste review. 

É isso aí !!! 

Fernando Zavarelli
Não perca as atualizações do SprueMaster ! Assine já o Feed e receba um aviso em seu e-mail, clique aqui
O SprueMaster também está no twitter, clique aqui

Posts Relacionados

3 Thoughts to “Review 1/32 FLY Bachem Ba 349 A “Natter” #32002”

  1. Anderson

    Muito interessante, principalmente porque é simples e até iniciantes podem montar sem maiores dificuldades.

  2. Anderson

    escolha muito interessante! já tinha lido sobre esse… avião-foguete?! e um modelo desse kit é algo que se destaca na estante! Pela escala, interessante a possibilidade de fazer um detalhamento, o que não deve ser dificil afinal, era um modelo muito simples e robusto, quase que descartavel para ser usado por pilotos novatos naquele panorama desesperador em que a Alemanha mergulhou nos meses finais da guerra.

    1. Anderson:

      Desculpe a demora, mas vamos lá.

      Eu tenho me surpreendido a cada dia com os lançamentos dos fabricantes do leste europeu. Apesar de atuar mais na parte de militaria, tenho visto muita coisa diferente na aviação e até na naval. É claro que ainda falta chão pra esse pessoal, mas de uma coisa você pode ter certeza: eles aprendem rápido. Fique ligado nos próximos reviews que vou fazer aqui no Spruemaster. Vai ver que se eles ainda não têm a qualidade técnica dos grandes fabricantes de kits, superam isso com uma certa “paixão” na escolha dos modelos que colocam no mercado, como você notou no Natter. Fique ligado e continue nos mandando as suas opiniões.

      Abração !!!

Deixe seu comentário

Obrigado!! Seu comentário poderá ser aprovado antes da publicação.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.