História & Modelismo walkaround 

Walkaround – AS-350 Esquilo – Polícia Militar de São Paulo – Águia 2

Um pouco da história:

Alavancada pelos tempos heróicos da aviação o Governo do estado de São Paulo, aprovou  a Lei nº 1.395, de 17 /12/1913, que permitia a criação da escola de Aviação na Força Pública, sendo estabelecida sua sede no Campo do Guapira (onde atualmente encontra-se a Rua Rei Alberto no Parque Edu Chaves).

Ficou determinado pela lei, que além da formação de pilotos, a Força Pública do Estado de São Paulo também formaria pilotos para constituir uma seção de aviação, assim, o governo deveria organizar os planos da Escola de Aviação, em todos os sentidos, desde determinar o que seria ensinado, até o orçamento destinado a manutenção da tal Força.

A explosão da Primeira Guerra Mundial pôs fim a escola de aviação pois a manutenção das aeronaves era algo praticamente impossível e mantê-las em voo era extremamente difícil para a época.

Somente em 1920, quando o aviador e instrutor da Escola Naval do Rio de Janeiro Willian Hoover mudou-se para São Paulo e ganhou o apreço do público devido aos seus shows aéreos, pensou-se novamente e reformular a Força Pública, a o governo paulista adquiriu do próprio Hoover um biplano de duplo comando. Tempos depois o governo encomendaria nos Estados Unidos três aparelhos Oriole, e cinco JN.

Muitoss oficiais inscreveram- se no curso, e em pouto tempo a primeira turma de pilotos militares era brevetada. Entretanto pouco tempo epois o governo resolveu fechá-la como medida de economia.

Os aparelhos JN foram doados à Marinha Nacional, permanecendo na Escola os Oriole, com execessão de um que havia sido doado ao aviador Edu Chaves, com o qual mais tarde realizaria o raid São Paulo – Bueno Aires.

Em 1925, seria reaberta a Escola, onde se matricularam inúmeros oficiais. Foram também empregados na instrução novos incluindo um Avro Avian, que receberia o nome de Itararé.

E 1930, Dr. Sales Júnior, secretário da Justiça, de acordo com o Comando Geral da Fôrça Pública, decidiu que civis poderiam ser inscritos na Escola de Aviação do Campo de Marte, o que permitiria a formação de pilotos para reserva da Milícia Paulista. No governo Júlio Prestes, foram adquiridos nos Estados Unidos seis aeronaves do tipo Curtiss Fledgling , equipados com motores de 6 cilindros, refrigerados a ar e raio de ação de quatro horas de voo.

A escola teve os seguintes comandantes, todos oficiais da Fôrça Pública: – tenente – coronel Chrysanto Guimarães, tenente – coronel Afro Marcondes Rezende, capitão Etualpe Neves, major Bernardo Espínola Mendes, major José Garrido e capitão Reynaldo Gonçalves, nomeados após a vitória da Revolução de 1930

Por sua vez, com o fim da Revolução Constitucionalista de 1932, o Grupo Misto de Aviação da Força Pública foi extinto em 08 de outubro daquele ano, tendo seu material arrolado e entregue ao Grupo de Aviação do Exército Nacional, representado por uma comissão de oficiais. A Aviação da Força Pública é extinta e não mais decolaria.

Nas décadas de 70 e 80,  há o surgimento de uma nova aviação, a Aviação de Segurança Pública, com um enfoque totalmente diferente da apresentada pela história, pois tem como fim constitucional a preservação da ordem pública e subsidiariamente a defesa da Pátria, além estar presente, não só nas Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares, mas também nos Departamentos de Polícia Federal e Rodoviária Federal e Polícias Civis.

Com a evolução e grande desenvolvimento da Cidade de São Paulo, a maior e mais importante metrópole da América do Sul, houve um aumento e aprimoramento da criminalidade, sendo necessário o emprego de outras tecnologias na tentativa de proporcionar a maior segurança à população. Assim foi incorporado a Polícia Militar um meio ágil, eficiente e eficaz no combate à criminalidade: o helicóptero “Águia Uno”, que tinha por missão apoiar a PM em todas as suas atividades. A data era 15 de agosto de 1984, e estava oficialmente criado o Grupamento de Radiopatrulha Aérea.

Fontes:

– Revista Milítia JUNHO/1962

– Portal do Piloto Policial – http://www.pilotopolicial.com.br

<param name=”movie” value=”http://www.youtube.com/v/FCni8EZN9rE?version=3&hl=pt_BR&rel=0″ <param name=”allowFullScreen” value=”true” <param name=”allowscriptaccess” value=”always” <embed type=”application/x-shockwave-flash” width=”640″ height=”360″ src=”https://www.youtube.com/v/FCni8EZN9rE?version=3&hl=pt_BR&rel=0″ allowscriptaccess=”always” allowfullscreen=”allowfullscreen”

 

Walkaround:

 

Meus agradecimentos ao Grupamento de Rádiopatrulha Aérea de Ribeirão Preto, por ter me recebido tão bem e permitir estas fotos para os fãs da aviação em geral.

É isso aí e até a próxima!

Written by 

Editor do Blog SprueMaster

Posts Relacionados

5 Thoughts to “Walkaround – AS-350 Esquilo – Polícia Militar de São Paulo – Águia 2”

  1. Rommel Nóbrega

    Muuuuuuuuuuuuuuito bom Lucas, as fotos estão ótimas e esse vídeo também é show!!!
    Grande abraço meu amigo!!!!

  2. Marcelo

    Nossa, veio no momento certo esse Walkaround, porque chegou hoje o meu Eurocopter as 350B da Heller para eu transformar no helicóptero Aguia!

    1. Opa, legal Marcelo!!

      Fico contente em saber que as fotos foram úteis

      Plastiabraço

  3. Bruno Barrese

    Belíssimo Walkaround do esquilo, gostei de conhecer esta “ferramenta” da PM paulista, usado desde patrulhamento até o resgate, este que via pelos noticíarios e me encanto com a destreza dos pilotos em relação á agilidade e prescisão das manobras. Abraço.

    1. Obrigado Bruno!!

      Sempre fico contente ao saber que as matérias aqui no blog são úteis para o pessoal.

      Um grande plastiabraço,

Deixe seu comentário

Obrigado!! Seu comentário poderá ser aprovado antes da publicação.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.