Artigo do Leitor Mais ! 

Artigo do leitor: MIG-3 Trumpeter 1/32

O leitor do blog Tarcisio B. Moura nos envia mais um excelente artigo sobre suas montagens, vamos lá:

MIKOYAN-GUREVICH MIG 3 – TRUMPETER

Escala: 1/32

Fabricante: Trumpeter (China)

Tipo: Plástico injetado, transparências, partes de photo-etched e metal, decalques.

O kit:

Nunca, nem em meus sonhos mais loucos eu podia um dia acreditar que alguma companhia iria lançar um modelo em escala 1/32 do Mig 3. Ainda mais um kit de alta qualidade como este que a Trumpeter colocou no mercado. Eu sempre admirei o design do Mig 3 e queria muito montar um kit dele que fosse bastante acurado. Infelizmente a maioria dos kits disponíveis era ou de construção muito complicada ou com muitos erros de engenharia. Por tudo isso qual foi a minha surpresa ao ver que a Trumpeter realizou um trabalho de arte com este aqui. Não só é o único modelo em escala 1/32 disponível no mercado, como também é, em termos de precisão e facilidade de montagem, o melhor kit deste avião até hoje.

Confesso que no início eu fiquei um pouco apreensivo de como seria montar este modelo, levando-se em conta a minha única experiência anterior com um kit desta companhia. O Su-15 em 1/48 era um kit bem detalhado em termos de injeção de plástico, mas terrível nos encaixes, ao ponto de ter que literalmente esculpir em Super Bonder certas partes. Qual foi a minha surpresa ao ver que o Mig 3 superava em todos os pontos o kit do Su-15. Alguns encaixes foram tão bons e livres de problemas que me lembraram dos últimos Tamyia e Hasegawa. Assim foi com o detalhado cockpit, que não deu qualquer trabalho no quesito encaixe e só causou dor de cabeça mesmo por causa de uma ejector pin mark (buraco de marca de injeção do plástico) bem no centro do assento do piloto, que deu muitos problemas para conseguir eliminar.

O modelo vem também com algumas novidades, tais como peças em photoetched para as articulações das superfícies móveis (ailerons, flaps, profundores, etc). As transparências são de primeira qualidade, com as molduras perfeitamente delineadas, o que facilita muito o uso de máscaras na hora da pintura. Cuidado, no entanto! Elas são por demais finas, o que as torna, em termos de escala, muito precisas, mas também são muito frágeis. Eu parti a transparência deslizante durante a manipulação e não foi possível corrigir a contendo.

Primeira observações:: como foi dito antes, alguns encaixes da Trumpeter são muito acima da média dos kits mais comuns do mercado (Monogram, Revell, Italeri, etc). No entanto, em outras partes a união de duas peças se revelou bem mais complicada do que um kit mediano. Isso foi particularmente perceptível nos lemes, e ailerons, que exigiram uma boa lixada para que conseguissem uma aparência mais natural.

No geral a construção revelou-se bastante fácil. Meu exemplar, no entanto, mostrou um problema que nunca vi em qualquer outro review do Mig 3: o encaixe das asas com a fuselagem foi muito prejudicado pelo encontro do assoalho do cockpit com a caixa de rodas na asa. Foi preciso lixar muito, mas muito mesmo, e com cuidado, para se conseguisse um resultado razoável.

Achei melhor não usar as peças de photo-etched como vi na maioria dos outros artigos sobre o kit. Estas peças são de difícil manipulação e, sinceramente, não vi porque deveriam ficar móveis. Não valia o trabalho. Preenchi os espaços com cola branca e colei-as diretamente nas asas e fuselagem.

As metralhadoras vieram como peças separadas, sem qualquer detalhe e diferenciação. Usei a ponta de uma agulha hipodérmica para fazer o furo dos canos. Pintá-las revelou-se uma inutilidade, uma vez que não conseguiria usar qualquer tipo de máscara para impedir que ficassem com a mesma cor da pintura externa do avião. O melhor é mesmo pintá-las depois e ter uma mão firme com o pincel.

A construção:

O cockpit é uma jóia em si mesmo e, sinceramente, um dos mais completos que já vi em qualquer escala. Se ele parece espartano comparado com outros, é porque o avião de verdade não possuía muito mais do que se vê no kit. Quanto às cores, os aviões soviéticos eram em geral pintados de um cinza metálico. No entanto, isso não era regra única. Depois de muita pesquisa descobri que os aviões Mig durante a guerra tinham uma pintura própria, que vinha de fábrica, um azul cinzento, muito semelhante ao blue gray usada na camuflagem da marinha americana. Usei a tinta da Gunze Sangyo Blue Gray e funcionou muito bem..

Minha única adição ao kit foram os cintos de segurança em photoetched. Como eu não tinha um set russo coloquei um alemão que é praticamente idêntico. O resultado ficou muito bom e deu mais vida ao já excelente interior.

Decidi não montar os flaps em aberto por duas razões, uma técnica e outra histórica. Histórcia: quase todas as fotos de época mostram o avião com flaps recolhidos no chão. A outra foi que os interiores das peças estavam com marcas de ejetores de plástico e completamente impossíveis de corrigir sem uma enorme perda de tempo, recursos e esforço. Os slats também foram outro ponto: eles se mostraram corretos, mas igualmente estavam sempre total ou quase totalmente recolhidos quando o avião estava no solo. Deixei na posição quase totalmente recolhida.

De grande ajuda foi a maneira simples mas genial que os engenheiros da Trumpeter resolveram para facilitar a montagem das complicadas portas do trem de aterrissagem. Siga à risca as instruções e você não terá qualquer problema. Ponto para o fabricante!

Não houve maiores problemas durante todo o restante da construção. Algum putty teve que ser aplicado em encaixes, mas isso era de se esperar e nada foi muito complicado.

Como extra o kit vem com os trilhos para lançamentos de foguetes e 6 mísseis RS-82, tudo bem acurado e que dá um ótimo adendo para o avião (principalmente se você montar a versão de inverno, que realmente estava equipada com estas armas). Pena não vir junto os dois módulos com metralhadoras UBS, mas estas eram impopulares e geralmente retiradas logo que o avião chegava na base, então não fazem muita falta mesmo.

Pintura e Decalques :

O kit veio com decalques  para duas versões: uma de verão, que supostamente seria a do avião pilotado pelo ás Alexander Pokrishin, muito comentada em publicações soviéticas mas do qual não sobreviveu nenhuma foto. A outra é a famosa pintura de inverno de um dos últimos modelos de série (provavelmente um dos poucos armados com 2 canhões de 20 mm) , uma das fotos mais conhecidas do Mig-3 por causa da bela pintura da flecha vermelha, pertencente ao 172 IAP, pilotado por D. Latyshev, em fevereiro de 1942. O slogan em cirílico lê-se Za Rodinu (“Pela Pátria Mãe”).

Decidi fazer uma pintura que já vi em muitos desenhos, mas que não é correspondida em fotos. Seria deste mesmo avião com a pintura de inverno junto com as asas pintadas de vermelho. Há muita polêmica atualmente sobre se as asas seriam mesmo em vermelho (segundo alguns especialistas a pintura seria verde, vindas de um avião camuflado, que estariam substituindo painéis danificados e não teriam tido tempo de pintar de branco). Pesquisas recentes mostram, no entanto, que a densidade da cor pelas fotos de época que eram mesmo vermelhas. Eu creio que os soviéticos chegaram a pintar alguns aviões desta forma nem que fosse só para fins de propaganda (há desenhos do período da guerra mostrando Migs pintados assim). E, sem dúvida, fica muito mais bonita do que um avião todo só branco.

No entanto, devo dizer que esta combinação de branco/vermelho pode ficar muito bonita de ser vista, mas é uma das mais difíceis de obter. Mesmo cobrindo toda a parte branca com Parafilm e verificando cuidadosamente cada pequeno detalhe, um pouco do vermelho conseguiu chegar até a fuselagem e não foi fácil cobrir esta parte. Por outro lado o branco mancha muito fácil o vermelho e o processo se mostrou igualmente complicado. Foram várias correções em ambos os lados, que acabaram prejudicando o acabamento final.

Para conseguir o azul celeste da parte de baixo do avião eu usei uma combinação de Sky Blue com Light Blue, ambas da Tamiya. Também usei branco da Tamiya misturando a tinta brilhante com a fosca para conseguir um efeito semi-fosco que acabou razoável (isso foi em 2005. Se fosse hoje usaria tintas Akan, que tem o FS correto). Utilizei o Red Thunderbirds da Gunze para conseguir o vermelho das asas (que parecem ser um pouco diferentes da pintura da fuselagem de acordo com as fotos disponíveis).

Já os decalques…embora as estrelas e o slogan da fuselagem se mostrassem ok, a flecha na altura do motor se revelou um verdadeiro desastre. Ainda que eles venham cortados em dois para facilitar a aplicação, o filme que as cobre impede de se sobreporem devidamente, além do que, estavam muito curtas, deixando assim grandes espaços entre elas. A única solução foi usar o vermelho da Tamiya para cobrir as falhas, o que, nem preciso dizer, não foi fácil de se fazer. Só mesmo com muita paciência consegui um resultado razoável. Infelizmente nenhuma das resenhas sobre o kit falou deste problema. Eu estou avisando, portanto. Existe no mercado internacional dois sets de decalques para o Mig 3 da Trumpeter feitos pela firma polonesa Daco. Tanto quanto pude ver pelas resenhas, trata-se de material de primeira. No entanto, como nenhum deles tinha o esquema que eu queria montar, acabei tendo que usar os decalques do kit mesmo.

Nota:

Infelizmente o kit teve o seu acabamento prejudicado por causa de um concurso na época. Não tive tempo para dar os efeitos nem corrigir alguns erros de pintura. Aos leitores minhas desculpas pelas fotos “limpas” demais. Eu pretendo fazer o kit 1/48 da Trumpeter em breve e com isso uma melhor apresentação visual. Fica o aviso que correr com o modelo para participar de algum evento não é boa política.

Conclusão:

O resultado final compensa todo o esforço de correção dos problemas. O kit captura bem as linhas verdadeiras do Mig 3 original e parece perfeito em suas dimensões. Apenas o spinner deveria ser de forma ligeiramente mais cônica. O kit da Trumpeter é, sem dúvida, o melhor e mais fácil de montar de todos os modelos existentes no mercado. Para os mais fanáticos perfeccionistas são necessárias apenas algumas modificações básicas (parece que alguns sets de resina estão a caminho para eventuais correções). No entanto eu devo avisar que não é, como qualquer kit da Trumpeter, para um iniciante. Mas qualquer modelista com alguns trabalhos no seu currículo será capaz de monta-lo sem maiores transtornos.

****************************

É isso aí, parabéns ao Tarcísio e se você quiser mandar sua matéria para o  Artigo do Leitor do Spruemaster, basta seguir os passos mostrados aqui neste link.

Plastiabraço e até a próxima!


Written by 

Editor do Blog SprueMaster

Posts Relacionados

2 Thoughts to “Artigo do leitor: MIG-3 Trumpeter 1/32”

  1. daniel iscold

    Tarcisio. Legal a sua montagem,. Interessante que eu já montei o mesmo modelo e não tive os mesmos problemas que você teve!!
    Abraços!

  2. Willian Dolence

    Legal, salvo pra ler em casa com toda a calma. Estava namorando este kit no final do ano, agora acho que animo. Ou não.

Deixe seu comentário

Obrigado!! Seu comentário poderá ser aprovado antes da publicação.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.