Artigo do Leitor Montagens & Tutoriais 

Artigo do Leitor – 1/72 Harrier GR-3 Falkland

O leitor do Blog Spruemaster Daniel Iscold enviou este artigo sobre a montagem de um Harrier GR-3 da Italeri na escala 1/72.

Vamos lá!

O Hawker-Siddeley Harrier é um caça de ataque ao solo e reconhecimento, com capacidade para pouso e decolagem vertical (V/STOL). O Harrier foi a primeira  militar operacional a ter esse sistema de voo, trava-se de uma tecnologia inovadora, na época em que foi desenvolvido.

Primariamente, o Harrier foi utilizado como um avião de ataque ao solo, embora a sua manobrabilidade, demonstrou que ele também pudesse engajar-se em combates contra outras aeronaves a curtas distâncias (dogfight).

O Harrier é impulsionado por um único turbofan Pegasus, montado na fuselagem. Os bocais de exaustão, com vetoração variável, instalados nas laterais da fuselagem, é que lhe conferem, suas singulares características de voo. Além destes, alguns bicos de reação, no nariz, cauda e nas pontas das asas, ajudam de equilibrar a aeronave durante o voo vertical, bem como na transição de voo vertical para horizontal. 

O batismo de fogo do Harrier se deu na guerra das Malvinas, onde em combates, abateu caças Dassault Mirage III, da Força Aérea Argentina, sendo estes muito mais rápidos, demonstrando assim o seu valor bélico.

Países como, Espanha e Estados Unidos, utilizaram largamente o Harrier em suas forças armadas, sendo que mais tarde, nos EUA o Harrier foi produzido sob licença, pela McDonnell Douglas (versão AV-8B). Outros países como Tailândia e Índia utilizaram estes aviões, em menor escala, mas com similar sucesso.

A versão GR3 é uma evolução da versão GR1, os Harrier GR3, apresentam melhorias em seus sensores, com uma mira a laser, montada em seu nariz, integrada aos Sistemas Eletrônicos de Contra Medidas (ECM) e um motor melhorado, modelo Pegasus Mk 103. Essa última versão foi extensivamente utilizada na Guerra das Malvinas

O kit da Italeri

Na realidade trata-se de um kit da velha e conhecida ESCI. O kit vem injetado em cinza claro, e com um impressionante fino baixo relevo. Digo impressionante, pois este kit data da década de 80, quando a tecnologia para a produção dos mesmos não era tão refinada, como a tecnologia atual. A folha de decalques é impressa pela Bucchino Zanetti e possui boa qualidade de impressão e registro. As transparências são finas e de boa qualidade. Como cargas exteriores, o modelo traz bombas, tanques de combustível e dois misseis Sidewinder.

Os detalhes do cockpit são espartanos, os consoles laterais e painel de instrumentos, são representados por decalques. O assento ejetável, produzido pela Martin Baker, no avião original, nem de longe lembra o assento em escala real. Para corrigir estes problemas acredito que existam aftermarkets em resina e fotogravados. No meu caso, recorri a caixa de sucata de fotogravados, para fazer os consoles laterais, painel de instrumentos e melhorar o assento original do kit. O painel de instrumento precisa ter o seu tamanho e formatos ajustados, para cobri os espaços que ficam entre o mesmo e a cobertura do painel.

Espertamente, a fabricante original do kit, produziu a sessão frontal do avião separada do restante da fuselagem, fato que a permitiu produzir diferentes versões desta aeronave.

Após montar o cockpit, o restante da montagem segue os mesmos passos de qualquer plastimodelo nesta escala. Os encaixes são igualmente surpreendentemente bons, tendo em vista a década a qual o modelo foi produzido.

A pintura do modelo foi realizada com tintas gunze e tamiya, seguida de aplicação de camada brilhante com FUTURE, “wash” dos painéis e desgastes, com tinta a óleo. Finalmente as partes transparentes receberam uma camada de FUTURE e o “canopy” recebeu uma guarnição na parte traseira feita um pedacinho de plasticard. Os decais responderam muito bem ao MARK SOFTER da Gunze Sangyo.

Para finalizar o modelo, fiz as antenas em formato de lâmina, atrás do canopy, com estireno e instalei o tubo de Pitot no nariz, feito com tubos de latão.

Para a confecção da vinheta, usei uma base de MDF, com borda laqueada. O piso do “tarmac” fiz com papel “verge” com textura de casca de ovo, que representa o asfalto muito bem. As figuras são da ESCI, atualmente injetadas pela Italeri também. A escada de bordo do piloto, fiz com estireno e fios de cobre, utilizando como referência, fotos da internet. Esta escada, é também utilizada pela RAF em seus aviões, tais como o Tornado e Typhoon.

Em função da nacionalidade do fabricante, deixo aqui a minha pequena homenagem aos nossos irmãos italianos, que perderam seus entes queridos, na pandemia de COVD-19.

É isso aí, agradeço imensamente ao Daniel por ter enviado esse artigo e parabéns pela excelente montagem!

Se você quiser enviar o seu artigo, leia aqui como fazer.

Written by 

Editor do Blog SprueMaster

Posts Relacionados

3 Thoughts to “Artigo do Leitor – 1/72 Harrier GR-3 Falkland”

  1. Volmir Batista (Jetcommando)

    Muito legal a vinheta ! Achei interessantíssimas as observações acerca do kit; muitas vezes deixamos de adquirir um kit mais antigo por temer o que pode ser encontrado dentro da caixa, rsrsr… também gostaria de destacar a alta qualidade do trabalho nas figuras ! É muito difícil conseguir um resultado assim nessa escala ! Parabéns ao modelista e ao Blog por proporcionar o espaço ! Abraço do Jet !

    1. Obrigado Volmir!! fico sempre contente quando o pessoal gosta das matérias

      O Daniel é modelista dos bons!

      Plastiabraços!

  2. Anthony

    Bela montagem! Gosto muito desses kits antigos,ESCI é um deles.

Deixe seu comentário

Obrigado!! Seu comentário poderá ser aprovado antes da publicação.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.